Todas as notícias

Um espaço de apoio às mamães que tem filhos na UTI Neonatal

Da Redação

Publicado em 02 de MAIO de 2017 às 09h33



Criada há 14 anos, a Casa da Gestante da Santa Casa de Misericórdia de Barbacena  atendeu nos quatro primeiros meses deste ano a cerca de 40 mamãe de diversas cidades da região, como é o caso das mamães Taynara Cistina, do município de Visconde do Rio Branco, que está na casa há mais de 20 dias; e de Elizângela Nunes Nepomuceno, de Cipotânea, a mais de dez dias.  

“Se não fosse a Casa da Gestante, eu não teria onde ficar. Quando meu filho nasceu e disseram que ele teria que ficar na UTI Neonatal, por ser prematuro, fiquei muito assustada, porque veio justamente a preocupação de onde ficar e também ir e voltar para a minha cidade seria difícil. Quando falaram da Casa, veio um alívio muito grande para mim e minha família”, disse Taynara. Destacou ainda o conforto que a Casa da Gestante oferece a atenção dada pela Santa Casa. “Assim pude ficar mais próximo do meu filho, dar mais atenção a ele”, destacou.

Para a mamãe Elizângela Nunes, a Casa da Gestante veio como um importante aconchego para sua vida, pois permite estar perto do hospital e assim, acompanhar de perto sua filha. “Eu não teria onde ficar se não fosse a Casa da Gestante. Seria muito difícil estar indo e vindo para Cipotânea e, com isso, não conseguiria dar mais atenção à minha pequena filha. 

A Casa da Gestante é um espaço que abriga as mamães que tem filhos recém nascidos em tratamento intensivo na UTI Neonatal da Santa Casa. O mês de março foi um período em que a Casa esteve ocupada em toda sua totalidade. Nela a mamãe encontra todo o apoio necessário para que possa ficar bem e, assim, poder dar atenção ao seu filho. Além de toda a parte de alimentação, essas mamães têm acompanhamento psicológico e de enfermagem caso necessitem enquanto permanecem na casa. Podem permanecer durante todo o tempo que o filho estiver na UTI.
A presença dessas mães na Casa é necessária porque facilita o contato entre mãe e bebê, permitindo a amamentação, estimulando o desenvolvimento do bebê e fortalecendo o vínculo entre mãe e filho. Essas medidas ajudam a diminuir o tempo de estadia do bebê no hospital. A Santa Casa é o único hospital da região a oferecer esse serviço às mamães oriundas de outras cidades, cujos bebês permanecem internados logo após o nascimento.