Todas as notícias

Santa Casa promove ação preventiva envolvendo seus funcionários

Marcio Cleber

Publicado em 13 de NOVEMBRO de 2017 às 07h23



Dentro de suas ações do Novembro Azul, a Santa Casa de Misericórdia de Barbacena, mais uma vez teve está com um olhar voltado para seus funcionários. Na última semana fez a coleta de sangue de seus profissionais com idade acima de 40 anos para a realização do PSA. Tudo promovido gratuitamente e visando a qualidade de vida de seus funcionários. Uma ação desenvolvida pelo Serviço Especializado em Engenharia e em Medicina do Trabalho - SESMET.

Com atitude simples, mas de grande importância, a Santa Casa está trabalhando a prevenção contra o câncer de próstata e outros, uma vez que neste mês a reflexão é sobre os cuidados do homem. São diversos os tipos de doenças urológicas que podem acometer qualquer homem, e sem aviso prévio. Na urologia, o que mais leva o homem a temer uma consulta é o imaginário sobre os exames de toque para averiguação do câncer de próstata. O que vale para a saúde de qualquer homem é estabelecer uma programação, no mínimo anual, para um check-up. Isso significa que você está cuidando da sua saúde, e não procurando uma doença.

A prevenção, o diagnóstico e o tratamento, quando for o caso, precisam ser enfrentados como realidade e probabilidade pelos homens. A incidência da doença é alta e, aproximadamente, 60% deles, entre 40 e 59 anos, podem sofrem com o aumento da próstata ou hiperplasia prostática benigna (alteração da próstata).

No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer - INCA, a cada ano são descobertos 61.200 novos casos de câncer de próstata, com um total de 13.772 mortes/ano. Em termos globais, são mais de 1,1 milhão de novos casos/ano, com mais de 300 mil mortes. É o segundo tumor mais comum em homens (o primeiro é o câncer cutâneo não melanoma) e a terceira principal causa de morte, depois do câncer de pulmão e colorretal.

O tratamento para o câncer de próstata dependerá de alguns fatores, como o estadiamento (extensão) da doença, a idade do paciente, a expectativa de vida, outras doenças associadas, a probabilidade de cura, os efeitos colaterais e a manutenção de uma boa qualidade de vida. Entre as opções estão a cirurgia, a radioterapia, a hormonioterapia, a quimioterapia, as vacinas, as terapia alvo e, mais recentemente, o HIFU - High Intensity Focused Ultrassound (Ultrassom Focalizado de Alta Intensidade).

O HIFU é uma técnica minimamente invasiva (sem introdução de instrumentos, agulhas ou sementes radioativas) para o câncer primário e localizado em fase inicial, de baixo e médio risco. Estudos internacionais atestam baixos índices de efeitos colaterais (transtornos urinários e disfunção erétil), em relação aos tratamentos convencionais, e de mortalidade e morbidade, mas com altos índices de sobrevida livre de metástases após 10 anos da realização com esse tratamento (98-100%).