Todas as notícias

Um dia dedicado aos bebês prematuros

Marcio Cleber

Publicado em 17 de NOVEMBRO de 2020 às 07h40



Nesta terça-feira, 17, celebra-se o ‘Dia Mundial da Prematuridade’ criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para chamar a atenção para um problema que atinge 15 milhões de crianças todos os anos ao redor do mundo. No Brasil, 340 mil bebês nascem prematuros todo ano, o equivalente a 931 por dia ou a 6 prematuros a cada 10 minutos.

 

A Santa Casa de Misericórdia de Barbacena é uma referência nos cuidados aos prematuros, pois possui em sua estrutura funcional a UTI Neonatal. Só até o mês de outubro foram atendidas 206 prematuros sendo que 16 nasceram em outras cidades e foram encaminhadas para Barbacena. 

 

Os bebês prematuros, por definição são aqueles nascidos antes de 37 semanas completas de gestação, representam de 5 a 18% dos nascidos vivos em 184 países, segundo a Organização Mundial da Saúde - OMS. Há vários fatores de risco para prematuridade conhecidos como gravidez múltipla, tabagismo, uso de drogas, e intervalo entre gestações menor do que 18 meses, além de complicações da gravidez que exigem antecipar o parto.

 

 

Na Santa Casa de Misericórdia de Barbacena, o bebê quando recebe alta da UTI Neonatal, vai para a enfermaria ‘Mãe Canguru’, um tipo de cuidado neonatal humanizado que implica no contato precoce pele a pele, entre mãe e bebê prematuro. Neste procedimento não é só a mamãe que participa; mas também o papai ou qualquer outra pessoa da família.

 

Esse tipo de cuidado oferece muitas vantagens ao bebê. Além de ser um gesto mais do que carinhoso, estabelece maior apego, segurança, incentivo ao aleitamento materno e melhor desenvolvimento da criança, evitando infecções. A Santa Casa de Barbacena é o único hospital da cidade e região que possui toda essa assistência aos bebês prematuros.

 

O método se desenvolve em três etapas. A primeira ocorre quando o bebê ainda está internado na UTI Neonatal. Os pais mantêm um contato físico com o seu bebê, isto é, são estimulados pela equipe hospitalar a tocarem seu bebê que está dentro da incubadora. Se o bebê estiver em condições clínicas estáveis, os pais poderão fazer a posição Canguru, onde o bebê fica apenas de fralda em contato com a pele no peito nu do papai ou da mamãe.


Quando o bebê está estável, é encaminhado à Enfermaria Mamãe Canguru para que mãe e bebê permaneçam o mais tempo possível fazendo o Canguru. Nessa enfermaria a mãe aprende todos os cuidados com o bebê, com a supervisão da equipe hospitalar.

 

Na posição Canguru, o bebê tem menos refluxo e as vias aéreas são mantidas livres e há diminuição do risco de apnéia (parada respiratória durante o sono). O contato com o corpo da mãe promove a manutenção da temperatura corpórea do bebê. O desenvolvimento neurológico da criança é melhor, ainda mais pelo fortalecimento dos laços afetivos entre mãe e bebê.